Lições aprendidas e práticas promissoras por comunidades religiosas

Documentação de práticas promissoras por comunidades religiosas em matéria de VIH no público adolescente e pediátrico

Slice 4.png
Slice3.png
Slice.png
Slice 2.png

A UNAIDS-PEPFAR Faith Initiative está a recolher e a documentar provas sobre intervenções práticas promissoras por parte de grupos e comunidades religiosos em matéria de VIH no público adolescente e pediátrico.

As comunidades religiosas, incluindo prestadores de cuidados de saúde inspirados pela fé, líderes religiosos e organizações com base na fé, contribuem de formas distintas para a resposta ao VIH no público adolescente e pediátrico através de quatro fundamentos: 

  1. Fornecimento de serviços através de prestadores de serviços de cuidados de saúde inspirados pela fé, por ex., testes pediátricos, tratamento de ARV, prestação de cuidados e apoio utilizando abordagens integradas e holísticas centradas na família.

  2. Alcance comunitário através de grupos comunitários religiosos, por ex., apoio a mães e EMTCT ou envolvimento de homens no apoio, cuidado, tratamento e testagem com base na família.

  3. Utilização de locais de culto para aumentar a procura de serviços contra o VIH, por ex., apoiando a testagem de VIH através de postos de saúde; aumentando a identificação de casos e a submissão a tratamentos e retenção através de intervenções; apoiando a retenção nos cuidados e na supressão da carga viral através de grupos de apoio.

  4. Aconselhamento sobre congestionamentos e compromissos de setores privados e governamentais, por ex., compromissos pessoais de líderes religiosos em relação à testagem e realização de sermões para desmistificar o estigma; criação de eventos de consciencialização sobre a TB e o VIH no público pediátrico, através de formações e elaboração de campanhas com líderes religiosos e representantes de comunidades religiosas; O plano de ação de Roma relativo à TB e ao VIH no público pediátrico.

PhotoByAlbinHillert_20180307_AH2_8698.jp

Albin Hillert / WCC

Precisamos da sua ajuda para reunir informações sobre estas intervenções e programas nos quais as comunidades religiosas tenham tido um impacto significativo ao permitirem que as crianças e os adolescentes consigam aceder a testes de VIH, tratamentos, cuidados, apoios e prevenção, ações estas que são vistas como práticas promissoras. Estamos à procura de documentos, artigos, avaliações e relatórios de monitorização que apresentem provas dos resultados e do impacto das intervenções e práticas promissoras. Mesmo que não tenha tido um envolvimento direto, fale-nos sobre tais programas e forneça dados de contacto das pessoas envolvidas.

Indique os seus contributos abaixo e envie quaisquer materiais relevantes para stuart.kean@gmail.com, com uma cópia para interfaith.health.platform@gmail.com.

 

Orientação para o fornecimento de informações sobre Intervenções de práticas promissoras das funções desempenhadas pelas Comunidades religiosas em programas de VIH no público pediátrico e adolescente

O que torna uma intervenção numa “prática promissora”?

Não existe uma definição rápida e simples para o que deve ser ou envolver uma intervenção de “Prática promissora”, embora a melhor definição seria a de que é uma intervenção que tem sido falada por muitas pessoas (e por motivos positivos), sendo que tais pessoas a gostariam de adotar e/ou introduzir nas suas atividades. Para o objetivo deste estudo sobre a função das Comunidades religiosas nos programas de VIH no público adolescente e pediátrico, pretendemos recolher informações sobre intervenções e práticas com a maioria das seguintes características:

  • A prática deve estar relacionada com um dos quatro pilares da comunidade religiosa: prestadores de serviços de cuidados de saúde inspirados pela fé, grupos comunitários religiosos, locais de culto que aumentam a procura de serviços contra o HIV, a função dos líderes religiosos no aconselhamento;

  • A intervenção pode comprovadamente satisfazer uma necessidade expressa dos principais participantes/beneficiários;

  • A prática é eficaz e relevante para o contexto local; 

  • Deve proporcionar resultados num tempo razoável; 

  • A intervenção deve ter uma forte indicação de que será sustentável, por ex., demonstração de liderança e responsabilidade local, inclusão em orçamentos, etc.;

  • Deve ser vista pelos seus criadores e principais utilizadores como uma prática que é promissora e que vale a pena reproduzir.

 

Idealmente, deve existir documentação sobre a intervenção que tente avaliar o seu sucesso (por ex., avaliações ou monitorizações do projeto) ou que apresente provas de que a intervenção está a ser adaptada e utilizada por outras comunidades e organizações. Caso tal não seja possível, será importante demonstrar que a prática emergente bem-sucedida pode ser partilhada com outros e que não se baseia apenas em circunstâncias locais particulares.

Formato para a recolha de dados sobre Intervenções práticas promissoras em matéria de HIV em público adolescente e pediátrico

Esperamos recolher as informações sobre cada intervenção prática promissora utilizando os seguintes campos. Ficaríamos gratos de obter informações detalhadas nas secções relativas aos resultados e ao impacto, bem como os principais fatores de sucesso e de limitação. 

A intervenção continua a ser implementada?
Escala de alteração da atividade existente exigida pela intervenção
Obrigado